TWINSTERS – GÉMEAS DESENCONTRADAS

O André anda feliz. Diz que a sua companheira cansou-se finalmente de ver as telenovelas dos canais portugueses, acha-as sempre iguais e fartou-se. Para desenjoar perguntou-me se podia sugerir algum filme com uma história inesperada  mas bem feito. Não resisti em sugerir-lhe o documentário Twinsters que é ao mesmo tempo a história mais estranha, e desenvolvida de forma sensível e emocionante.

Duas mulheres nascidas na Coreia do Sul, Samantha (atriz) e Anais (estilista), foram entregues para a adoção a uma família de Los Angeles e outra francesa. Descobrem através de Facebook que têm as mesmas características e nasceram no mesmo dia, em suma, pelas fotografias percebem que são irmãs gémeas verdadeiras.

A partir daqui o inesperado acontece: sem nunca caír na lamechice tonta viajamos com elas numa odisseia emocionante. Testemunhamos o primeiro encontro, a vontade de partilhar momentos e cumplicidades separados por milhares de kilómetros e vidas que não foram vividas em conjunto. Fazem testes de personalidade, que revelam as suas complementaridades das respetivas personalidades, revivem as suas mães de acolhimento e tentam encontrar-se com a sua mãe biológica: um entrave difícil de superar, já que esta nega ter sido mãe de gémeas.

Tudo parece demasiado telenovelesco para ser real? Mas não caro leitor, tudo isto aconteceu e vale a pena descobrir mais neste documentário Twinsters, que pode ser visto através da Netflix. A não perder.

Advertisement

FASHION STAR-DA CRIAÇÃO PARA A VENDA

A companheira do André é fã dos programas de moda e da vida dos ricos que a SIC Caras tem nas suas horas de emissão. O André diz que “A maior parte deles não tem grande interesse mas gosto do Fashion Star, apresentado pela Elle Macphersonum daqueles programas televisivos, habituais nos dias de hoje, que misturam a busca de talentos com umas pitadas de reality show e uma certa piroseira e lamechice associadas. Os estilistas concorrentes têm de criar, em equipa com os seus costureiros, uma peça de roupa que obedeça ao desafio proposto, com apoio dos 3 mentores. Depois são avaliados a nível artístico e estético, mas, após esta fase, e aí mora a novidade, são examinados pelos responsáveis comerciais de 3 grandes armazéns (H&M, Macys, Fifth Avenue), que podem oferecer um valor para encomendar determinadas peças de roupa. Os que não tiverem propostas sujeitam-se a ser eliminados. Aqueles que receberam propostas têm as suas peças para venda online”.

Este é o componente interessante que para a economia americana faz todo o sentido, nomeadamente para a indústria da moda: os criadores apresentam as suas peças que são avaliadas qualitativamente e seguem depois para a fase final de distribuição e venda do produto. A ver.

2013_1127_FashionStar_Show_KeyArt_1920x1080_NL

AS RELAÇÕES FAMILIARES EM NEBRASKA

Depois desta época natalícia e dos encontros quase forçados com muito membros da família com quem não está durante o ano, o André ficou com vontade de ver um filme que retratasse o lado perverso das relações familiares. Embora esse não seja o tema central, não resisti a sugerir que visse o filme “Nebraska”.

O ponto de partida é um pai de família, idoso, esquecido e mal humorado que pensa ter recebido um (falso) prémio de lotaria e que pretende ir até ao local onde dizem ser preciso ir para receber o dinheiro. Incompreendido e anti social, tem apenas o apoio de um dos filhos que decide ir com ele numa viagem que permitirá conhecerem-se melhor. Pelo caminho deparam-se com vários elementos da sua família, gananciosos, que pensam encontrar ali e na generosidade do protagonista o seu filão de dinheiro.  Mas há um ajuste de contas com o passado que é rematado num belo final.

É triste, melancólico e ternurento.

 

 

 

DANIEL CRAIG E O NOVO JAMES BOND

O André foi ver o “Spectre” com a curiosidade de saber se realmente era assim tão extraordinário como os críticos pela primeira vez afirmavam de uma forma quase unânime. “Eu e a minha companheira adoramos o James Bond, apesar dos primeiros serem um pouco machistas. Mas o filme apesar de ter uma história mais redonda, e ter cenas de ação quase perfeitas quase que soa a uma despedida.”

Ao contrário dos anteriores, “Spectre” parece ser uma espécie de reforma antecipada, apesar de não enveredar pelo casamento com final trágico como em “Ao serviço de sua majestade”, filmado em lisboa nos anos 1960. Daniel Craig mostra menos pele do que nos três filmes anteriores, e, apesar da sua rudeza física e expressão glacial, transmite um certo cansaço físico e desgaste psicológico. A morte de M, a sua quase mãe, está vingada, e parece ter encontrado a sua namorada perfeita, será?

ohmss-500x250

Mas “Spectre” apesar de fazer uma espécie de ajuste de contas com o passado, e ter a melhor sequência de abertura de todos os 007 , passada no México, não conta com um cuidado estético e visual que se pressentia em “Skyfall”.  É curiosa a ligação entre os vilões anteriores e a ligação filial com o atual vilão, mas apesar de prometer muito acaba por escavar pouco no passado.

Critica-007-contra-espectre

 

A série Alô Alô

O André está a deliciar se com a revisão da série Alô Alô, em boa hora reposta na RTP Memória. ” Não só pela forma impiedosa como ridiculariza o desentendimento entre os vários intervenientes na guerra: franceses, ingleses e alemães.”

Mas não só, a série reverte a ideia do galã: René não deve muito à beleza e no entanto é pretendido pelas mulheres e por um homem. Além de ser muito divertido tem uma forte conotação sexual e malandreca  em inúmeras situações . É intemporal e muito divertido.

Nelo e Idália

O André diz que se farta de rir com a nova sitcom da RTP ” Nelo e Idália”, o regresso de Herman à comédia televisiva com o par que dá nome à série, as suas duas filhas, o namorado de uma, a senhoria e a empregada. ” Tenho um casal que vai ao café igual ao Nelo e Idália: ela frustrada e muito carente de afetos do marido que se mantém firme na sua masculinidade embora desviando a sua atenção para os homens.”

O primeiro episódio esteve um pouco perro e com pouco ritmo, mas na semana seguinte a comicidade dos diálogos e os trocadilhos e sentido de ironia e sátira foram de mestre.

 

Oeiras, 12/10/2015 - Apresentação do programa "Nelo e Idália" da RTP1, nos estúdios da Valentim de Carvalho em Paço de Arcos. Ana Rita Tristão; Maria Rueff; Martinho Silva; Herman José; Inês Sobral. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Oeiras, 12/10/2015 – Apresentação do programa “Nelo e Idália” da RTP1, nos estúdios da Valentim de Carvalho em Paço de Arcos. Ana Rita Tristão; Maria Rueff; Martinho Silva; Herman José; Inês Sobral.
(Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

http://media.rtp.pt/neloeidalia/2015/10/08/ola-mundo/

A obscenidade à hora de almoço 

O André não percebe o critério que faz com que um filme ou programa tenha a bola vermelha no canto superior direito, que o classifica como tendo ” cenas eventualmente chocantes”.

” Senão porque é que o Fama Show não tem o foto círculo ?”, pergunta o André. Segundo ele me explicou, este programa apresentado por 5 esbeltas e jovens senhoras à hora de almoço de sábado , entre passadeiras vermelhas, corridas de piscinas e outras tontices tem o seu momento obsceno.

Ninguém se despe fisicamente mas sim na sua intimidade. As 5 apresentadoras fazem um cerco ao homem escolhido , regra geral jovem, bem parecido e com relativo sucesso nas artes, desporto ou televisão. Depois é vê las a rodear a vítima disparando perguntas se o visado fez sexo num sítio público ou se já tirou uma selfie despido entre outras doçuras.

Tudo isto num tom que mistura a suposta malandrice com uma falsa brandura, enquanto o entrevistado perde a intimidade à vista de todos.

Pelo menos a pornografia não engana.

MINISTRA ANABELA RODRIGUES ENGASGADA

O André fica envergonhado quando vê figuras tristes na televisão, mesmo não sendo nada com ele, ainda que sejam figuras públicas e com elevadas habilitações literárias. Aconteceu isso ontem, com a ministra Anabela Rodrigues, durante a conferência relativa a reunião de Conselho de Ministros em que não foi aprovado o novo estatuto da GNR. Não foi bonito de se ver. Quando confrontada com esta situação, a ministra engasgou-se, mantendo-se em silêncio durante intermináveis segundos que, em televisão equivalem a horas infindáveis. Maldade também das televisões que fizeram questão em manter essa imagem congelada.

Estamos em 2015 e não em 1965, será que o primeiro ministro não sabe que, independentemente das competências técnicas e políticas, um ministro tem de saber comunicar?

A Ministra da Admnistração Interna, Anabela Miranda Rodrigues (D), fala durante a conferência de imprensa de conclusão da reunião de Conselho de Ministros, 19 de fevereiro de 2015 na sede do conselho em Lisboa. TIAGO PETINGA/LUSA

NOTÍCIAS DA SILLY SEASON

O André tem-se divertido bastante a pesquisar notícias da estação tonta, ou mais precisamente a silly season. Antigamente reservada ao mês de Agosto, em que a atualidade relevante gerada pela sociedade civil entrava em modo de pausa. A verdade é que os meios de comunicação social têm abusado deste vazio de temas interessantes muito antes deste mês. Basta começar a subir o termómetro até aos 30 graus para que estas notícias brotem como fungos em climas húmidos.

Desta vez não são as bolas de berlim, ou namoros de verão das celebridades. A última grande novidade é que terminar mensagens com LOL já não está na moda, mas sim usar os emojis (ou emoticons) e os hahaha, esclarecidos? E a mim o que é que isto me interessa?

http://www.publico.pt/tecnologia/noticia/nada-de-lol-agora-sao-emojis-ou-haha-1704668